Palhaços: ídolos que imitamos… para alegria daqueles que elegemos.

Ser palhaço não é ofensa, pelo contrário, é uma bela profissão. Um só, diverte centenas de pessoas a cada apresentação. São palhaços por opção. Longe de tirar o mérito de trabalho e de sua dedicação, eles existem para levar alegria e diversão. Ninguém pergunta se ele chora ou se dói o seu dedão. Ninguém que saber se seu salário é suficiente para alimentar sua família ou se os juros que paga, pelo uso do cartão, são superiores aos de muito graudão. Divertem o eleitor e esse plagia seu ídolo, divertindo aquele que elegeu. Político também é uma ótima profissão.

Não tenho o conhecimento, nem a experiência necessária para seguir a profissão, sou uma mera professora, inteligente suficiente para finalizar uma graduação, mas nada esperta, ou teria seguido outra profissão. Seria talvez parte da minoria que recebe bem acima do piso de R$ 950,00 proposto para a categoria e que gera tanta discussão. Fosse eu mais ladina, poderia receber R$ 11.564,76 que agregado a outros valores chegaria aos R$ 74.949,00 mensais. Com o piso de R$ 950,00 só é preciso trabalhar 78 meses ou mais de 6 anos para atingir esse valor, que eles recebem num único mês.

Claro, esqueci de dizer que todos são muito bem preparados, mas todos precisam de vários cargos de confiança para dar conta do serviço, todos precisam de verba para viajar e a menor diária deles é de R$ 462,00 enquanto os professores ganham um vale refeição de R$ 95,00 por mês. Salário absurdo, aumentos absurdos, ajuda de custo no valor de um salário mínimo por dia… Os prezados deputados deveriam ter seus aumentos vinculados ao mínimo, ou ao aumento dado aos demais servidores públicos, nenhum valor a mais. Viver com um salário mínimo ou dois seria uma boa experiência, colocar os filhos em escolas públicas também seria interessante, assim como usar os postos de saúde e hospitais públicos…

Não bastasse isso, o número de concursados é de 471 e está bem distante dos CCs que somam 1.169 pessoas. Faltam professores, falta pessoal na Brigada Militar, faltam leitos nos hospitais, médicos nos postos, falta medicamento, falta comprometimento, mas sobram deputados, ops, cargos de confiança. Impostos altíssimos, serviços bancários com taxas altíssimas com a benção dos governantes, e lá vamos nós, plagiando os palhaços, divertindo alguns poucos eleitos.

Se não temos pão, não podemos comer brioches e Maria Antonieta, ao perder a cabeça deve ter pensado na questão, ou talvez não, fosse ela mais esperta, teria percebido que o povo já estava bem alimentado, farto mesmo de tanto imposto engolido frio. Liberdade e igualdade, era só o que o povo almejava. Se hoje temos liberdade de expressão, em grande parte é pela luta de um povo alimentado por farto imposto sem contrapartida do Estado.

Se você também está bem alimentado de tantos impostos e tão parcos investimentos em educação, segurança, saúde… mande um e-mail para www.al.rs.gov.br e externe sua indignação.Se você é de outra UF troquea-a no endereço e veja como andam os salários no seu estado, procurando pelo item “transparência”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s