Multiplicando Ações Inclusivas – Braillu Mais

Foto de arquivo: Ângela Maieski

Sou uma otimista incorrigível e continuo acreditando que pessoas podem desenvolver uma consciência crítica e ética através da reflexão. Há vários anos venho montando uma oficina de sensibilização na qual os alunos são convidados a participar colocando-se no lugar de uma pessoa com deficiência. A simulação é realizada com uso de vendas, protetores auriculares  e  eventualmente, com cadeiras de rodas. Difícil era encontrar brinquedos e jogos para deficientes visuais e solicitei que algumas turmas da EJA – Educação de Jovens e Adultos colocassem sua criatividade em ação. Criaram alguns jogos em EVA (Etil, Vinil e Acetato) e outros em madeira. O jogo de damas apresenta inconformidade (foto1), para ser adequado teria que ser refeito, colocando-se pinos em todas as peças e ranhuras na metade delas, mas o jogo da velha (foto2) permite jogar sem entraves.

Foto: Ângela Maieski (arquivo)

Foto de arquivo: Ângela Maieski

Agora a boa notícia: através do Projeto Multiplicando Ações Inclusivas foram criados jogos pedagógicos e brinquedos adaptados para deficientes visuais, suprindo assim uma lacuna relativa ao processo de alfabetização Braille e estimulação tátil.

A pedagoga Luciane Maria Molina Barbosa que atua no ensino  de deficientes visuais, ela própria deficiente visual, vem realizando trabalhos voltados à alfabetização Braille, reabilitação, apoio escolar e informática com softwares de voz integrado, lançou o projeto BRAILLU MAIS – “Multiplicando Ações Inclusivas”- www.braillu.com e estará participando entre 14 e 17 de abril da REATECH 2011, Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade em São Paulo.

São ações assim que permitem uma melhor qualidade de vida, para aqueles que por problemas congênitos ou adquiridos, precisam aprender ou reaprender a perceber, reconhecer e se locomover no espaço que nos cerca.

PS: A Luciane informou que eles  adapataram o jogo de dama com texturas velcro e EVA.

Ela, além de atuar no ensino de deficientes visuais também atua na formação de professores.